DAEMONIUM - Volume 2.jpg

Daemonium Vo. 2 (prelo)

EDITORIAL: Daemonium é um jornal de pesquisas sobre a tradição da magia do Curso de Filosofia Oculta, um projeto pessoal de disseminação da Arte dos Sábios através da história: Magia na Antiguidade, Teurgia Neoplatônica com ênfase em Jâmblico, a feitiçaria dos Papiros Mágicos Gregos, Magia Salomônica Tradicional, Tradição Cipriânica e Faustina medievais, a Escola de Agrippa e a própria tradição hermética de mistérios. O jornal aborda também a magia popular brasileira e pajelança cabocla, xamanismo e Quimbanda, tradição a qual o presente autor é um táta-nganga.

O autor não possui escola de iniciação ou qualquer colegiado, agremiação ou associação nos moldes das tradicionais ordens ocultistas modernas. Há muito tempo ele deixou de acreditar nas inúmeras ordens iniciáticas da modernidade e passou a zelar pelo ensino tradicional da Arte dos Sábios através de um contato íntimo ou relação de mestre e discípulo. Tradicionalmente, desde os primórdios da magia, a Arte dos Sábios, seus segredos e mistérios, tem sido transmitido através de uma linha de sucessão de magos e feiticeiros.

Magia aprende-se dentro do círculo mágico, feitiçaria aprende-se sujando as mãos com sangue e gordura de animais imolados. Quando o estudante está pronto para aprender com um mago experiente, ele busca um professor que possa lhe ensinar os arcanos da Arte dos Sábios pessoalmente. O estudante aprende magia vendo seu tutor espiritual praticando, observando seus procedimentos, invocações e consagrações, conjurações e pactos. Anos e anos nos enfadonhos graus de papel não substituem a verdadeira relação entre mestre e discípulo na transmissão da tradição da magia.

A expectativa do mago na Antiguidade era primeiro preparar-se através do estudo, depois encontrar um tutor para lhe ensinar o arcano da magia. De posse deste conhecimento, conjurar um espírito assistente para lhe dotar com sabedoria oculta e auxílio tangível na modificação de sua realidade. Essa é a fórmula universal presente em inúmeras tradições e cultos de mistérios desde o passado mais remoto até os dias de hoje e que foi imortalizada nas histórias míticas de São Cipriano e Fausto, nos feitos taumatúrgicos de Salomão e Simão o Mago, bem como na versão moderna do Conhecimento & Conversação com O Sagrado Anjo Guardião. E diferente do que pensam ou postulam os magos da modernidade, este arcano secreto da tradição da magia foi irremediavelmente perdido nas sociedades modernas como os diversos grupos rosacrucianos e iluministas, entre eles os thelemitas e os maçons, por exemplo.

Por outro lado, as tradições de Cabalá Crioula africanas e àquelas que nasceram da diáspora não só preservaram o arcano mágico, como o desenvolveram para muito além do conhecimento transmitido pelas ordens iniciáticas modernas: Iṣéṣé Làgbà, Ifá, Candomblé, Catimbó e Quimbanda são tradições que transmitem a fórmula mágica do conhecimento e conversação com espírito tutelar de maneira genuína dentro de codificações iniciáticas compreendidas apenas por seus adeptos iniciados. Todo ocultista ou hermetista deveria se ater com cuidado e atenção a estas tradições, pois elas irão fornecer de verdade tudo àquilo que as ordens modernas dizem oferecer, mas que em verdade não o fazem.

A Quimbanda em especial é a que mais se aproxima da busca hermética tradicional, visto ela ter sido profundamente influenciada pela tradição hermética de mistérios e ocultismo tradicional europeu.

 

O presente autor hoje é Mestre de Quimbanda e Sacerdote do Templo de Quimbanda Maioral Exu Pantera Negra e Pombagira Dama da Noite da Cova de Cipriano Feiticeiro, nome pelo qual nossa família de Quimbanda Nàgô atende. Através da Ordem Negra de Quimbanda, uma ordem espiritual criada para facilitação e disseminação dos arcanos mágicos da Quimbanda pelo Exu Pantera Negra, novos candidatos a conhecer a Quimbanda são bem vindos.

 

O autor foi instrutor da Astrum Argentum por quase vinte anos, tendo publicado inúmeros livros sobre a Filosofia de Thelema e sua prática mágica e mística. Em 2017 e.v. ele se retirou do trabalho externo da Astrum Argentum e hoje ensina Quimbanda Nàgô e Mussurumin.